O papa Francisco evocou hoje os combates e os mortos “a sangue frio” na cidade iraquiana de Mossul e apelou à oração para “um futuro de segurança, reconciliação e paz” no país.

“Nestas horas dramáticas, estou próximo de toda a população do Iraque, em particular da cidade de Mossul”, disse o pontífice, após a tradicional oração do Angelus, desde o Palácio Apostólico.

Francisco manifestou-se “desolado com a morte, a sangue frio, de numerosas pessoas daquela amada terra, entre eles tantas crianças”.

“Esta crueldade faz-nos chorar e deixa-nos sem palavras”, afirmou, assinalando que as almas “estão chocadas pelos atos violentos odiosos cometidos há demasiado tempo contra cidadãos inocentes, muçulmanos, cristãos ou membros de outras etnias e religiões”.

A evocação do papa surge passada uma semana sobre a ofensiva em Mossul, feita pelas forças iraquianas e curdas “peshmergas” para expulsar o grupo extremista Estado Islâmico, que controla a cidade desde junho de 2014.