O PCP vai aprovar o Orçamento do Estado para 2017, anunciou esta manhã Jorge Cordeiro, membro do Comité Central comunista, numa entrevista à TSF. A duas semanas na votação do Orçamento, o PS já garantiu a aprovação da proposta, já que também o Bloco de Esquerda anunciou que votará a favor.

“Esta formulação envolve a ideia de que votaremos a favor na generalidade”, admitiu Jorge Cordeiro, referindo que a proposta apresentada pelo Governo tem “alguns elementos positivos”, ainda que tenha apontado insuficiências em algumas matérias, nomeadamente relativas à administração pública e às pensões. Ainda assim, a avaliação feita é suficiente para que os comunistas validem a proposta no Parlamento, na primeira votação a que o Orçamento do Estado para 2017 vai ser submetido na Assembleia da República, quando for apreciado e votado na generalidade, nos dias 3 e 4 de novembro.

Depois desta data, os comunistas pretendem continuar a trabalhar na proposta: “O PCP prosseguirá o exame comum com vista a que na especialidade seja possível eliminar ou reduzir aspetos que consideramos insuficientes e negativos e alcançar e concretizar novos avanços para além dos concretizados”.

Este fim de semana, a coordenador o do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, anunciou que também os deputados do partido votaram a favor do Orçamento. De acordo com o atual quadro parlamentar, o PS precisa dos votos favoráveis do PCP e do Bloco de Esquerda para aprovar a proposta de Orçamento do Estado, já que são necessários os votos favoráveis de um mínimo de 116 deputados e sozinhos os socialistas só têm 86 lugares no Parlamento.

Os dois partidos, bem como o partido Ecologista Os Verdes, negociaram o Orçamento entregue a 14 de outubro na Assembleia da República com o PS, mas nenhum deles tinha formalizado a aprovação da proposta nessa altura, remetendo essa declaração mais para a frente.