O IMPA afirma, em comunicado, que “a este tipo de fenómenos está associada uma elevada incerteza espacial e temporal”, não sendo por isso “possível prever com exatidão o local onde irão ocorrer”. Adianta ainda que, as zonas mais prováveis são o Sul e o Litoral Centro.

Em declarações, esta segunda-feira, à Agência Lusa, a meteorologista Ângela Lourenço disse que “o Norte e o Centro do continente vão ser mais poupados, mas nestas situações com muita instabilidade, trovoadas, é difícil delimitar as zonas onde a probabilidade é maior”.

“A região Centro poderá ter situações de precipitação mais intensa, mas a sul do rio Tejo será uma situação mais complicada. É possível que, ao longo do dia de hoje, os avisos possam ser alterados”, afirmou.

O IPMA colocou, esta segunda-feira, dez distritos de Portugal continental e a Madeira sob aviso laranja e aviso amarelo devido à previsão de chuva, vento e agitação marítima forte.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os distritos de Lisboa, Setúbal, Beja, Faro e a ilha da Madeira estão sob aviso laranja devido à previsão de agitação marítima forte com ondas de noroeste com 5 a 5,5 metros que podem atingir os nove a dez metros.

Os distritos de Setúbal, Beja e Faro estão também sob aviso amarelo devido à previsão de chuva por vezes forte e acompanhada de trovoada e vento forte, com rajadas até 75 quilómetros por hora, podendo atingir os 90 quilómetros por hora nas terras altas.

O IPMA emitiu também aviso amarelo de agitação marítima para os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra e Leiria.

No que diz respeito à Madeira, a meteorologista adiantou que há avisos laranja e amarelo em vigor de agitação marítima, precipitação e vento.

O aviso laranja é o segundo mais grave de uma escala de quatro e significa uma situação meteorológica de risco moderado a elevado enquanto o amarelo significa uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.