Os websites de vários órgãos de comunicação belgas sofreram, esta segunda-feira à tarde, um ataque cibernético do grupo “Syrian Cyber Army”, por supostamente estarem a esconder o alegado envolvimento da Bélgica num atentado em Aleppo, que matou pelo menos seis civis.

O ataque ocorreu pelas 15h00 e resultou numa sobrecarga na rede, que impediu o acesso temporário a inúmeros sites de media belgas. Entre os alvos estão a rádio RTBF, o De Standaard, Het Nieuwsblad, e a Gazet Van L’Avenir.

O grupo que reivindicou o ataque cibernético justifica-o pelo facto de os órgãos de comunicação estarem a omitir o envolvimento da Bélgica num ataque aéreo em Aleppo. Acredita-se que o “Syrian Cyber Army” seja apoiado pela Rússia.

O Governo russo acusa a Bélgica de causar a morte de seis civis num bombardeamento das suas forças aéreas, lideradas pelos EUA, contra o Estado Islâmico, na semana passada, dia 18 de outubro, na zona de Hassadjek, em Aleppo. O ministro das Relações Exteriores da Defesa, Steven Vandeput, nega que os dois F-16 estivessem a operar na área, na altura do ataque.