O incêndio que deflagrou, pelas 12h, na antiga fábrica Lima Móveis, junto ao tabuleiro superior da ponte Luiz I, em Gaia, foi dominado por volta das 12:30h, disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) do Porto.

Por “indicação da PSP”, a linha amarela do Metro do Porto, que passa em frente ao edifício, e tem a estação do Morro a alguns metros do mesmo, esteve interrompida nos dois sentidos entre as 12:08h e as 12:45h, revelou à Lusa fonte da empresa.

Fonte dos Sapadores Bombeiros de Gaia indicou que o alerta do fogo foi dado às 12:05h e, às 12:20h, o edifício estava já “todo tomado” pelas chamas.

IMG_0154

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) do Porto disse que o fogo ficou confinado ao edifício devoluto.

O Comandante das Operações dos Bombeiros, em declarações feitas à RTP1, afirma que as causas do incêndio ainda são desconhecidas e que o fogo se propagou facilmente “provavelmente pelo prédio estar devoluto e a madeira antiga ser de combustão fácil”. Diz ainda que foram feitas buscas ao edifício e não havia ninguém no local.

Nas operações estiveram envolvidos 19 homens, apoiados por seis viaturas.

O Presidente da Câmara Municipal de Gaia refere à RTP1 que já não é a primeira vez que ocorre um incêndio neste edifício, antigo casino da ponte. Alerta também para a irresponsabilidade dos donos de edifícios antigos que se encontram devolutos e para o perigo que isso pode causar.