A França anunciou esta quarta-feira que prolongou a missão do porta-aviões Charles de Gaulle no Mediterrâneo oriental até meados de dezembro, para ajudar na ofensiva militar contra o grupo extremista Estado Islâmico (EI) na cidade iraquiana de Mossul.

O Presidente francês, François Hollande, decidiu prorrogar a missão depois de o Conselho de Defesa da França ter feito uma “avaliação das questões militares, humanitárias, os desafios políticos e de segurança envolvidos na recaptura de Mossul,” de acordo com um comunicado divulgado pelo gabinete Presidencial.

O porta-aviões foi deslocado para a região a 30 de setembro com a missão de um mês, sendo esta a terceira desde fevereiro de 2015.

Com a ofensiva militar contra o EI na sua segunda semana, as forças iraquianas apoiadas por ataques aéreos da coligação internacional, liderada pelos Estados Unidos, avançaram para leste de Mossul na terça-feira.

Um número crescente de civis está a fugir da cidade, que é a segunda maior do Iraque e um bastião do EI no país.