Um polícia húngaro morreu esta quarta-feira atingido a tiro quando participava numa operação de busca na residência de um suspeito de posse ilegal de armas que alguns ‘media’ identificaram como líder de uma organização clandestina neonazi.

O incidente ocorreu quando vários agentes se aproximaram do edifício, na localidade de Böny, no noroeste da Hungria, e o suspeito começou a disparar do interior da casa contra os agentes.

Um dos polícias foi atingido na cabeça e morreu pouco depois.

Vários ‘media’ húngaros identificaram o agressor como István Gy, reformado, 74 anos e líder da organização clandestina de extrema-direita Frente Nacional Húngara, fundada em 1989 com o nome Grupos de Ação Nacionalistas Húngaros, o qual manteve até 1992.

A polícia não confirmou estas informações.

O agressor foi ferido a tiro numa perna, detido e levado para um hospital.