A Galp registou lucros de 361 milhões de euros nos primeiros três meses do ano, o que representa uma queda de 26% face ao mesmo período do ano passado.

Apesar de um aumento da produção de petróleo, que em termos líquidos foi de 42%, os resultados da petrolífera foram penalizados pela queda das cotações no mercado internacional. O reforço da produção verificou-se nas operações no Brasil com a entrada em produção de três plataformas na costa do Brasil.

As margens de refinação também contribuíram, com uma descida de 6,6 dólares para quatro dólares por barril. A Galp assinala uma queda de 4% nos volumes vendidos, ainda que este segmento tenha mantido a sua importância nos resultados da empresa. A empresa planeia fazer uma paragem para manutenção em algumas unidaades da refinaria de Sines no último trimestre do ano.

As vendas de gás natural também recuaram, cerca de 13% face a setembro do ano passado, por causa da descida dos volumes vendidos no mercado internacional.

Nos primeiros nove meses do ano, a Galp investiu 847 milhões de euros, com as áreas de exploração e produção a absorver 88% do total. O investimento no Brasil representou 75% do total aplicado em exploração e produção.