Organização internacional sem fins lucrativos, destinada a guiar as economias sustentáveis, o Carbon Disclosure Project (CDP) tem também por missão elaborar anualmente uma lista das empresas mais empenhadas, a nível mundial, no combate às alterações climáticas. Tarefa executada a pedido de 827 investidores, que representam activos no valor de 100 mil milhões de dólares.

Entre elas encontra-se, agora, o Grupo PSA, por via da sua estratégia e das suas acções de resposta às alterações climáticas tomadas durante o ano passado, em termos de redução das emissões poluentes e da mitigação dos efeitos nas alterações climáticas. O construtor francês é apenas a nona marca automóvel a fazer parte de tão restrito grupo, a par da BMW, Daimler, FCA, General Motors, Hyundai, Nissan, Renault e Toyota. Intimamente ligados a este sector, encontram-se ainda os nomes da Michelin e da Yokohama.

Todos os anos, o CDP recebe milhares de relatórios climáticos, submetidos por outras tantas empresas, para efectuar a sua avaliação independente, de acordo com o seu método de pontuação. Apesar disso, do total de empresas participantes, apenas 9% (193) teve, em 2016, direito a integrar a tão ambicionada “A List” – assim se designa a listagem que congrega as empresas mais responsáveis ambientalmente.

CDP_A LIST_CLIMATE2016_RGB

O presidente executivo do CDP, Paul Dickinson, considera que as empresas que compõem a “A List” representam a vanguarda de um futuro com menores emissões de carbono, realçando que, por isso, “são os principais intervenientes num cenário em que a economia global está decidida a alcançar os seus novos objetivos em termos climáticos”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A revelação de “A List” para este ano coincidiu com a publicação do mais recente relatório anual do CDP, o qual estabelece linhas orientadoras para o combate às alterações climáticas. No documento, a organização revela que as empresas globais iniciaram a transição para uma economia baseada em reduzidos níveis de carbono, e que algumas já estarão, inclusivamente, a gerar receitas através das oportunidades criadas para tais mudanças de atitude.

Nos seus futuros relatórios anuais, o CDP avaliará os progressos das empresas nas reduções de emissões, ao abrigo dos Acordos de Paris, negociados no âmbito do COP21, em conformidade com tais linhas de orientação.