O líder da bancada do PSD, Luís Montenegro, defendeu hoje que o Governo e a esquerda praticam “austeridade pura” e que, um ano depois, “o país está pior e a vida quotidiana das pessoas não está melhor”.

“Um ano depois, o país está pior e a vida quotidiana das pessoas não está melhor”, defendeu Montenegro, que acusou a maioria de esquerda de praticar “austeridade pura”, numa intervenção no parlamento, no debate na generalidade da proposta de Orçamento do Estado para 2017.

A intervenção, que foi aplaudida de pé pela bancada do PSD, recebeu uma reação violenta por parte dos partidos que suportam o Governo, nomeadamente do deputado socialista João Galamba e do deputado do PCP António Filipe.

“Se a economia não cresce o que estava previsto, se as exportações não crescem que estava previsto, se o investimento não cresce o que estava previsto, se o consumo não cresce o que estava previsto, se todas estas variáveis falham, como é que se podem acertar as contas? Com cortes e com austeridade pura”, sustentou Luís Montenegro.

“Quando uma escola ou uma unidade de saúde encerram por falta de pessoal, o que é isto se não cortes a eito na despesa pública? O que é isto senão austeridade pura? Nem nos tempos da emergência, nem nos piores tempos de sacrifício, aconteceu que fechassem escolas e unidades de saúde”, prosseguiu.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR