Começou há poucas horas o Campeonato Mundial de Xadrez, em Nova Iorque. O russo Sergey Karjakin desafia o atual campeão, o norueguês Magnus Carlsen, numa competição que vai durar até ao fim deste mês e que, pela primeira vez, será transmitida para todo o mundo em 360 graus e com recurso a técnicas de realidade virtual.

Este ano, um dos grandes objetivos da organização do campeonato é conquistar mais adeptos para a modalidade. Magnus Carlsen, de 25 anos, é campeão mundial de xadrez desde 2013 e a pessoa que, atualmente, mais se aproxima do estrelato neste desporto. Tem a sua própria aplicação para smartphone e vários patrocinadores. Em 2010 foi mesmo o rosto de uma campanha publicitária da marca de roupa G-Star Raw, na companhia da atriz Liv Tyler.

Para cavalgar esta onda, o principal patrocinador do campeonato decidiu acrescentar atrativos ao evento. Pela primeira vez será possível acompanhar os doze jogos em direto através da internet com recurso a um software que analisa jogadas, determina probabilidades de vitória, permite responder aos movimentos de cada um dos jogadores e, além disso, falar com especialistas em xadrez em tempo real. Por outro lado, o jogo inaugural vai começar com uma jogada simbólica de Adrian Grenier, o protagonista da série Entourage. Os bilhetes para essa partida custam entre 70 e 1.100 euros.

O duelo entre Magnus Carlsen e Sergey Karjakin é particularmente picante porque é a primeira vez desde 2008 que um russo chega à final do campeonato. O xadrez sempre foi um desporto com tradição na Rússia e a federação daquele país empenhou-se muito na chegada de Sergey Karjakin a Nova Iorque. O xadrezista tem 26 anos, nasceu na Crimeia e interessou-se pelo desporto aos cinco anos. Numa recente entrevista ao El Mundo, disse que foi um anúncio na televisão que o despertou para o xadrez. Aos doze anos já era um jogador experiente, mas a falta de apoios na Ucrânia levou-o a mudar-se, em 2009, para a Rússia, onde começou a receber dinheiro de patrocinadores.

Sergey Karjakin conseguiu o lugar nesta final em março, quando bateu os sete concorrentes que conseguiram chegar ao Torneio dos Candidatos em Moscovo, na Rússia. Viswanathan Anand, ex-campeão mundial da modalidade, foi um dos derrotados dessa competição.

Apesar de Karjakin ter tido uma carreira fulgurante, não é uma figura consensual no mundo do xadrez. Garry Kasparov, lenda da modalidade e um dos líderes da oposição russa a Putin — de quem o xadrezista de 26 anos é apoiante, acredita que Sergey não tem hipóteses de vencer o título de campeão mundial em Nova Iorque. “Karjakin é um acidente. A menos que Magnus Carlsen tenha algum problema pessoal grave, não tem qualquer hipótese”, disse Kasparov recentemente no México, citado pelo El Español.