O Presidente da República vai receber os parceiros sociais na segunda-feira, em audiências que começam às 11h00, com o presidente do Conselho Económico e Social, Correia de Campos, e se prolongam até ao final do dia.

De acordo com a agenda divulgada por Belém, depois do presidente do CES, o chefe de Estado vai receber às 14h00 uma delegação da Confederação Empresarial de Portugal (CIP), às 15h00 a CGTP, às 16h00 a Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP), às 17h00 a UGT, às 18h00 a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) e às 19h00 a Confederação do Turismo Português (CTP).

Esta sexta-feira, questionado sobre estes encontros, o Presidente da República disse esperar “recetividade por parte dos parceiros patronais e laborais” para que haja “um entendimento, pequeno que fosse, a médio prazo“, para o país.

Eu espero dizer que seria importante para o país um entendimento, pequeno que fosse, a médio prazo, a 2019 ou 2020. Vamos ver se é possível haver a recetividade por parte dos parceiros patronais e laborais”, respondeu aos jornalistas, no final da cerimónia de abertura solene do Ano Letivo da Escola Naval e encerramento das Jornadas do Mar 2016, que decorreram na Escola Naval, em Almada.

Na terça-feira, em Viseu, Marcelo Rebelo de Sousa tinha anunciado que pretendia receber na próxima semana todos os parceiros sociais para debater a necessidade de um acordo de concertação social que inclua, entre outros pontos, o salário mínimo nacional.