Música

Dulce Pontes apresenta novo álbum “Peregrinação” em fevereiro em Espanha

A cantora Dulce Pontes apresenta o seu novo álbum, "Peregrinação", em fevereiro, no Palácio da Ópera, na Corunha, na região espanhola da Galiza, anunciou a sua produtora.

O palco galego acolhe, a 11 de fevereiro, o primeiro de uma série de três espetáculos de apresentação do novo álbum da cantora

MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

A cantora Dulce Pontes apresenta o seu novo álbum, “Peregrinação”, em fevereiro, no Palácio da Ópera, na Corunha, na região espanhola da Galiza, anunciou a sua produtora.

O palco galego, no dia 11 de fevereiro próximo, acolhe o primeiro de uma série de três espetáculos de apresentação do novo álbum da cantora, em Espanha, estando previsto atuações no Teatro Nuevo Apolo, em Madrid, no dia 30 março, e, no dia seguinte, no Palau de la Música, em Barcelona.

Nestes concertos Dulce Pontes será acompanhada pelos músicos Amadeu Magalhães (gaita-de-foles, cavaquinho, bandolim e flautas), Fernando Silva (guitarra portuguesa), Daniel Casares (guitarra clássica), Paulo Silva (percussão), Juan Carlos Cambas (piano) e Davide Zaccaria (violoncelo).

Do alinhamento do concerto fazem parte temas em castelhano e galaico-português sendo o Português a língua predominante.

Entre outras canções, o programa conta com “Vamos niña”, de Astor Piazzolla e Horácio Ferrer, “Alfonsina y el mar”, de Ariel Ramirez e Felix Luna, “Solo le pido a Dios”, de León Gieco, “La bohème”, de Charles Aznavour e Jacques Plante, “La leyenda del tiempo del poema”, de Federíco García Lorca adaptado por Ricardo Pachón, para o músico Camerón de la Isla (1950-1992).

“Peregrinação” será editado 36 anos após o primeiro disco da intérprete de “Lusitana paixão”, com que representou Portugal no Festival da Eurovisão em 1991.

“Peregrinação” é um álbum que tem vindo a ser anunciado sucessivamente pela cantora, que tem atuado com regularidade nos palcos espanhóis, no último ano.

Em abril passado, durante uma digressão por Espanha, no âmbito da qual Dulce Pontes atuou no Festival Veranos de la Villa, em Madrid, foi anunciado a saída “em breve” deste álbum.

Em agosto de 2015, fonte da promotora espanhola Syntorana tinha adiantado à agência Lusa que “Peregrinação”, que estava “pronto a sair”, seria um álbum duplo, com DVD.

Um dos dois CD é totalmente preenchido por canções em português e, o segundo, por temas em espanhol.

O DVD “será composto por três concertos, um em Roma, no Auditório Parco de la Musica, com a Roma Sinfonietta, sob a direção do maestro Paolo Silvestri, um outro em Budapeste, no Palácio das Artes Béla Bartók, e o terceiro, em Atenas, no Odeon de Herodes Atticus, e terá também várias imagens do ‘making-of’, captadas em Buenos Aires, Espanha e Portugal”, segundo a mesma fonte.

Dulce Pontes, de 47 anos, conta mais de 25 de carreira. Este ano a cantora participou no disco de estreia da guitarrista Marta Pereira da Costa, no qual interpreta “É ele que canta em mim”, que escreveu e compôs.

A cantora e compositora recebeu já os prémios Luigi Tenco e Fondazione Maria Carta, em Itália, o Amigo, para a melhor solista feminina, e Microfone de Ouro, em Espanha, entre outras distinções.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
IAVE

Errare humanum est… exceto para o IAVE!

Luís Filipe Santos

É grave tal atitude e incompreensível este silêncio do IAVE. Efetivamente, o que sempre se escreveu nos anos anteriores neste contexto foi o que consta na Informação-Prova de História A para 2018.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)