Os famosos Humvee fazem parte do imaginário de quem acompanhou as intervenções militares das forças armadas norte-americanas dos últimos anos, em diversos pontos do planeta. E dos amantes do cinema que assistiram às inúmeras películas que as retratam de modo mais ou menos fiel.

Mas, apesar das suas proverbiais capacidades, os mastodônticos veículos de todo-o-terreno desenvolvidos pela AM General para fins militares, em que a GM se inspirou para dar origem à marca Hummer (entretanto extinta), nem sempre são os indicados para chegar aos locais de mais difícil acesso. O que levou os não menos célebres Marines norte-americanos a encomendar à Polaris 144 unidades do seu MRZR-D4 para equipar os seus regimentos de infantaria, por forma a permitir-lhes chegar aos locais mais recônditos onde tenham que desempenhar as suas missões. Exemplo que deverá ser seguido também pelo exército dos EUA.

Apresentado em Maio passado, o MRZR-D4 tem por base o RZR, um veículo de todo-o-terreno bastante popular nos EUA, estando aqui equipado com um motor turbodiesel de 4 cilindros e 993 cc. Sendo esta a primeira vez que um veiculo deste género com motor a gasóleo é enviado para as linhas da frente.

[jwplatform 8LC8PhcP]

A transmissão está a cargo de uma caixa CVT de transmissão contínua e de um sistema de tracção integral inserível, que pode funcionar tanto no modo de quatro rodas motrizes como de duas rodas motrizes. Com 2.041 kg de peso, o MRZR-D4 pode transportar até 1.474 kg, conta com uma distância entre eixos de 2718 cm e um curso de suspensão superior a 30 cm, o que lhe permite superar a maioria dos obstáculos mais facilmente do que os Humvee. E, quando tal não for mesmo possível, os quatro militares que seguem a bordo, com a ajuda do guincho eléctrico montado de série na frente, decerto conseguirão fazê-lo contornar as dificuldades que o impeçam de evoluir no terreno por si mesmo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As prestações puras não serão, seguramente, o maior atributo do MRZR-D4, sobretudo quando comparadas com as oferecidas pela sua versão civil, animada por motores bicilíndricos a gasolina. Mas, para o efeito a que se destina, um argumento há que não terá deixado de pesar na decisão de escolha: a autonomia superior a 800 km. Para os apreciadores do género, será ainda interessante que as dimensões do MRZR-D4 permitem-lhe ser transportado, por via aérea, tanto nos aviões de descolagem e aterragem vertical Boeing MV-22 Osprey de duplo rotor, como nos helicópteros Sikorski CH-53 Stallion, estando ainda apto a ser largado do ar como carga suspensa.