A maior força da oposição na Coreia do Sul, o Partido Democrático, anunciou esta segunda-feira que avançará com um processo de destituição da Presidente caso Park Geun-hye não se demita após ser declarada cúmplice de um caso de corrupção.

“Park deve demitir-se. Tendo em conta esta postura, vamos analisar o impeachment de Park e a possibilidade de formar um governo provisório se for caso disso”, afirmou a líder do Partido Democrático, Choo Mi-ae.

Choo Mi-ae assegurou que iniciar-se-ão “de forma imediata” os trâmites necessários para o processo de destituição na Assembleia Nacional (parlamento), apesar de advertir que pode demorar até seis meses a ocorrer, segundo um comunicado divulgado pelo partido.

O anúncio chega um dia depois de a Procuradoria da Coreia do Sul ter revelado que a Presidente teve um papel “considerável” no escândalo de corrupção e tráfico de influências que envolve o Governo, ao acusar formalmente uma amiga próxima de Park Geun-Hye e dois antigos assessores.

A Procuradoria indicou que Park cooperou com a sua amiga, Choi Soon-sil, e outros dois ex-colaboradores que terão pressionado mais de 50 empresas do país para doarem 65,7 milhões de dólares (62 milhões de euros) a duas fundações.

O escândalo “Choi Soon-sil Gate”, que estalou há um mês, reduziu a mínimos a popularidade da Presidente e levou toda a oposição e grande parte da sociedade a pedir a demissão de Park, que deve ser interrogada pela justiça em breve.

Milhares de pessoas têm-se manifestado a pedir a demissão da presidente sul-coreana.

A indignação dos sul-coreanos, incluindo de membros do seu partido, tem por base a ideia de que a Presidente foi manietada durante o seu mandato por Choi, que não desempenha qualquer cargo público e foi comparada pelos meios de comunicação social à figura de Rasputin.

Uma recente sondagem coloca a taxa de aprovação de Park nos 5% — o valor mais baixo alguma vez alcançado por um Presidente na Coreia do Sul desde que o país alcançou a democracia no final da década de 1980.

O mandato da Presidente termina dentro de 15 meses.

Caso Park se demita antes, a lei obriga a eleições no prazo de 60 dias.