A Ordem dos Médicos do Norte informou esta terça-feira que está a investigar as demissões dos adjuntos da direção clínica do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD) e que continua atenta à falta de médicos nesta unidade.

O presidente da Secção Regional do Norte da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, afirmou à agência Lusa que o conselho disciplinar da Ordem está a investigar se “houve violação de normas deontológicas na relação entre pares”, referindo que em causa poderá estar um problema de “conduta ética”.

Em outubro, os cinco adjuntos da direção clínica do CHTMAD, com sede social em Vila Real, apresentaram a demissão deste cargo, sem terem explicado publicamente as razões que estiveram na base desta tomada de decisão.

“A situação de Vila Real é, neste momento, crítica. É uma situação em que há de facto uma grande deficiência daquilo que é o capital humano, nomeadamente na anestesiologia, que é a área mais crítica de todas porque tem interferência direta com todas as especialidades cirúrgicas”, frisou Miguel Guimarães.

Este é, segundo o responsável, um problema “que se arrasta já há alguns anos” e que “o poder político não tem sido capaz de resolver”.

“Mais recentemente, a intervenção que está a ser utilizada para tentar resolver a situação está a ser sem a colaboração dos profissionais de saúde de Vila Real e isto está a causar perturbações grandes dentro do hospital e que levou, inclusivamente à demissão de cinco adjuntos da direção clínica”, referiu.

Também, desde outubro, pediram a demissão dos cargos os diretores dos serviços de cirurgia, anestesiologia e imagiologia.

Contactado pela Lusa, o conselho de administração do CHTMAD confirmou estas demissões do cargo e esclareceu que já nomeou o novo diretor do serviço de imagiologia e que os novos responsáveis pela anestesiologia e cirurgia serão igualmente nomeados nos próximos dias.

A fonte acrescentou ainda que o diretor do serviço da cirurgia demissionário se mantém nas funções de diretor do serviço de urgência.

O conselho de administração informou ainda que já foram nomeados os novos adjuntos da direção clínica.

Relativamente à posição da Secção Regional do Norte da Ordem dos Médicos, a administração disse que “nada tem a comentar”.

“A principal preocupação do conselho de administração é que estas mudanças de chefias não influenciem o normal funcionamento da instituição, garantindo assim a contínua qualidade assistencial prestada por este centro hospitalar”, frisou a fonte.

Miguel Guimarães lembrou que a Ordem dos Médicos já alertou por três vezes, no último ano e meio, para a situação da falta de médicos e a insatisfação entre os profissionais no CHTMAD, no entanto frisou que a “situação continua por resolver com um prejuízo enorme para a população de Vila Real”.