Os perímetros de corrida do Estádio Universitário de Lisboa, na freguesia de Alvalade, vão ser requalificados em 2017 e passarão a ser iluminados por candeeiros a energia solar, anunciou a Universidade de Lisboa.

O pró-reitor da Universidade de Lisboa Pedro Mil-Homens explicou, num encontro com jornalistas, que a alteração da iluminação foi pensada para quem ali corre à noite e por haver uma “preocupação grande com a componente ecológica”.

Este foi um dos projetos vencedores no Orçamento Participativo de Lisboa em 2015, na categoria de 150 mil euros, e vai ser concretizado “no ano que vem”, segundo o responsável.

Ainda no âmbito da sustentabilidade ambiental, “estamos a requalificar os relvados que temos mais distantes, aqueles que estão mais em baixo, junto à piscina, para relvados artificiais”, disse Pedro Mil-Homens, frisando que o objetivo é “reduzir de forma dramática o consumo de água”.

“Hoje, regar relvados de relva natural no centro de Lisboa é uma prática que está a merecer a nossa preocupação, porque tem um consumo de água considerável”, reforçou.

Paralelamente, será requalificado um terreiro existente no Estádio Universitário, que não tem utilização fixa, para promover a prática de desportos de praia, como voleibol e futebol, adiantou Pedro Mil-Homens.

O projeto visa, assim, diversificar a oferta desportiva e melhorar as condições para as atividades ao ar livre, bem como contribuir para a “diminuição da pegada ecológica” da infraestrutura gerida pela Universidade de Lisboa, concluiu este responsável.