A mulher de Jiang Tianyong, um dos mais proeminentes advogados defensor dos Direitos Humanos na China, afirmou, esta quinta-feira, que este desapareceu após visitar os familiares de um ativista que se encontra detido.

Jiang passou a estar incontactável na segunda-feira, quando se preparava para embarcar num comboio rumo a Pequim, de acordo com uma carta da sua mulher, Jin Bianling, divulgada pela organização China Human Rights Lawyers Concern Group (CHRLCG).

“Depois de numerosas ocasiões em que Jiang foi sequestrado pela polícia secreta por defender os Direitos Humanos, e os desaparecimentos forçados e torturas a que foram submetidos vários advogados durante a campanha 709 (de 9 de julho de 2015), peço a vossa atenção”, lê-se na carta.

O trabalho de Jiang envolveu a defesa de algumas das figuras mais sensíveis para a política chinesa nos últimos anos, incluindo o dissidente Gao Zhisheng e o ativista Chen Guangcheng.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Jiang foi proibido de exercer, em 2009, mas continuou a fazer ativismo, tendo recentemente difundido a situação de quase duas dezenas de advogados detidos como parte da campanha repressiva 709, lançada pelo governo.

O advogado tinha estado reunido com os familiares de um dos advogados presos, na cidade de Changsha, centro da China, antes de desaparecer.

O seu telemóvel permanece, esta quinta-feira, desligado.