Depois do sedan Giulia e do SUV Stelvio, eis que a Alfa Romeo se prepara para levar o seu novo conceito de automóvel desportivo a um segmento e modelo de maior volume – o Giulietta. Este, a exemplo dos irmãos maiores, deverá trocar, já a partir da próxima geração, a mais comum tracção dianteira por uma tracção traseira.

Enquanto fabricantes como a BMW começam progressivamente a adoptar a tracção à frente, mais barata, como solução para os seus modelos mais acessíveis, a marca de Arese parece assim querer fazer o caminho contrário. Quiçá com o objectivo de voltar a dotar os seus modelos de uma imagem e sensações mais desportivas.

Quanto ao futuro Giulietta – que foi já apanhado em testes nas estradas italianas, embora ainda na carroçaria antiga e fortemente camuflada – terá deixado antever, através de uma espécie de bossa no capot, que ou vai passar a contar com um motor maior, ou então o propulsor passará a ser montado longitudinalmente. Exactamente como convém a um modelo de tracção traseira.

No entanto, esta não foi a primeira indicação nesse sentido, até porque a tracção traseira era uma exigência há muito feita pelos fãs e clientes da marca, os quais pretendiam o regresso desta solução em todos os modelos Alfa Romeo. Por outro lado, o futuro Giulietta utilizará uma versão encurtada da mesma plataforma Giorgio que serve de base às duas mais recentes propostas da casa de Arese, o Giulia e o Stelvio – dois modelos equipados, precisamente, com tracção traseira.