Um debate sobre a relação entre a arquitetura italiana e a portuguesa, pelos arquitetos Álvaro Siza e Vittorio Gregotti, vai assinalar, esta sexta-feira, o encerramento da representação oficial portuguesa na Bienal de Veneza. De acordo com a Direção-Geral das Artes (DGArtes), a programação de encerramento da 15.ª Exposição Internacional de Arquitetura da Bienal de Veneza, em Itália, reúne várias iniciativas, incluindo a apresentação do projeto do futuro Centro Português de Arquitectura.

O programa começa, esta sexta-feira, com uma sessão pública na Aula Magna Tolentini – do Instituto Universitário de Arquitetura de Veneza (IUAV), com intervenções de Alberto Ferlenga, reitor da universidade, que será o moderador do debate. Intitulado “Bienal de Veneza, 1976-2016: a relação entre a arquitetura italiana e a portuguesa”, o debate será protagonizado pelos arquitetos Vittorio Gregotti e Álvaro Siza.

Ao debate irá seguir-se uma conferência de imprensa da Casa da Arquitectura, uma das entidades organizadoras do evento, que apresentará em Veneza o projeto do futuro Centro Português de Arquitectura.

No sábado realiza-se uma visita guiada à exposição “Neighbourhood – Where Alvaro meets Aldo”, com o arquiteto Álvaro Siza e os curadores Nuno Grande e Roberto Cremascoli.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na exposição, foi revisitada a incidência desta temática no trabalho realizado pelo arquiteto Álvaro Siza em quatro bairros distintos: o Bairro da Bouça, no Porto, a Schlesisches Tor, em Berlim, o Schilderswijk West, em Haia, e o Campo di Marte, na Giudecca, em Veneza. Será ainda apresentada a representação oficial portuguesa na 57ª Exposição Internacional de Arte para 2017, com José Pedro Croft, artista convidado pelo curador João Pinharanda.

O encerramento da representação portuguesa, em Veneza, onde estará presente o secretário de Estado da Cultura, Miguel Honrado, é um evento organizado em parceria entre a Direção-Geral das Artes, a Ordem dos Arquitetos, a Casa da Arquitetura e o IUAV.