Uma das grandes descobertas nos subterrâneos de Londres vai ser aberta ao público a partir de 2017. Trata-se de uma linha de metro desactivada encontrada em 2011 que, conta a CNN, não transportava pessoas mas correio. Sim, leu bem: Londres tinha uma linha de metropolitano que só distribuía o correio considerado importante para os grandes escritórios da cidade.

A ideia parece estranha, mas, no período em que esteve ativa, durante cerca de 76 anos (entre 1927 e 2003), serviu para ultrapassar os atrasos que a entrega da correspondência sofria devido ao trânsito na superfície.

Mas comecemos pelo início. A ideia já existia na altura da construção do metro, mas, como não conseguiu obter investidores acabou por ficar na gaveta. Até que, na primeira década do século XX, engenheiros do British Post Office visitaram Chicago. E viram que a cidade americana tinha uma muito bem organizada linha de metro que funcionava a vapor.

Estupefactos, os engenheiros do Post Office — que na época era uma empresa estatal — decidiram avançar com o financiamento para a construção do metro.

Refúgio para obras de arte durante a guerra

Já com o financiamento assegurado, as obras começaram em 1914. Mas a construção das linhas de ferro subterrâneas acabou por se atrasar, uma vez que coincidiu com o início da I Guerra Mundial. Por isso, a linha só foi inaugurada em 1927.

A CNN conta ainda que, durante os cerca de 76 anos em que esteve activa, a linha de metro nunca parou — funcionava 22 horas diárias e nas duas que restavam era feita a manutenção.

Durante a Segunda Guerra Mundial, enquanto à superfície Londres era bombardeada, a 25 metros de profundidade os túneis serviam de refúgio para guardar obras de arte vindas de museus como a Galeria Tate ou o Museu Britânico.

A descoberta foi feita por ‘Urban Fox’e o ‘Silent Motion’ – , uma dupla com nomes de código que se dedicam a descobrir coisas e lugares independentemente de estas terem dono, invadindo por vezes propriedade propriedade privada.

Mas se em 2011 esta dupla desceu até às antigas linhas de metro de correio londrino ilegalmente, a partir de 2017 – já no próximo ano – quem quiser pode conhecer o que outrora foi a solução para a entrega a horas das cartas dentro da lei.