Mais de 4.000 civis fugiram da parte da cidade síria Alepo dominada pelos rebeldes, em menos de 24 horas, em resultado do avanço rápido das forças do regime, refere o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

“Desde do anoitecer, cerca de 1.700 civis fugiram das zonas [dominadas pelas forças] governamentais, enquanto mais de 2.500 outros se refugiaram no bairro curdo de Cheikh Maqsoud”, entre as duas partes da cidade, dividida pelo conflito, segundo aquela organização.

Mais tarde, o Observatório, que tem uma vasta rede de fontes distribuídas pela Síria, referiu um número de mais de 500 civis a sair da parte este de Alepo na direção das zonas governamentais, no norte e noroeste da cidade.

Este êxodo, inédito desde 2012, segue-se à conquista de Massaken Hanano pelas tropas do regime de Bachar al-Assad.

Massaken Hanano é o maior dos bairros do setor rebelde em Alepo e o exército queria a todo o custo dominar esta área.

Desencadeada em 2011 na sequência de uma revolta pacífica contra o regime, a guerra na Síria degenerou depois num conflito armado generalizado com diversos intervenientes locais e internacionais, tendo já provocado mais de 300.000 mortos.