Pelo menos 55 pessoas morreram no sábado no oeste do Uganda, num combate entre forças de segurança e militantes separatistas com ligações a um rei tribal, informou hoje fonte policial do país.

Catorze polícias e 41 militantes separatistas morreram durante estes combates, na cidade Kasese, quando os militantes ligados à guarda do Reino de Rwenzururu atacaram uma patrulha das forças de segurança.

Uma patrulha conjunta da polícia e do exército ugandês circulava em Kasese, a 300 quilómetros a oeste de Kampala, perto da fronteira com a República Democrática do Congo, quando foi atacada por membros da guarda real, disse o porta-voz.

“Os agressores atiraram uma granada artesanal que feriu um soldado, a patrulha respondeu e matou quatro atacantes”, acrescentou, explicando que o incidente acabou por degenerar “e provocou vários combates em diversos bairros que duraram até à noite”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A mesma fonte disse ainda que nem todos os atacantes eram da guarda real, mas estavam armados com pistolas, lanças e artefactos explosivos improvisados.

“Eles são muito bem organizados”, assegurou o porta-voz.