A Polícia Judiciária de Braga deteve esta segunda-feira oito pessoas, entre as quais dois advogados, no âmbito de uma investigação a um processo de fraude, burla e corrupção que terá lesado o Estado em mais de 15 milhões de euros.

Fonte da PJ disse à Lusa que a investigação decorre há um ano e meio e culminou esta segunda-feira com a realização de cerca de 100 buscas, tanto no Continente como nas regiões autónomas.

Foram detidas oito pessoas, entre as quais dois advogados e três técnicos oficiais de contas, tendo ainda sido constituídos outros arguidos.

A investigação, conduzida pela PJ e pela Autoridade Tributária de Braga, detetou prejuízos ao Estado avaliados em mais de 15 milhões de euros, entre IVA, IRS e Segurança Social.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em causa estão crimes de associação criminosa, fraude fiscal qualificada, burla tributária à Segurança Social, burla qualificada, insolvência dolosa, corrupção e branqueamento de capitais.

Uma das buscas foi realizada no escritório do advogado Costa Salgado, antigo diretor da delegação de Braga do Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social.

Em julho de 2011, Costa Salgado foi condenado a quatro anos de prisão pelo Tribunal de Braga, que deu como provado que o arguido se apoderou de 187 mil euros destinados ao pagamento de uma dívida ao Estado.