A delegação do Governo da Colômbia para o diálogo com a guerrilha do Exército da Libertação Nacional (ELN) anunciou, esta quinta-feira, que as negociações entre as duas partes vão ser retomadas em 10 de janeiro de 2017. Em comunicado, a delegação do Governo sublinha também que espera que “dentro de pouco tempo seja libertado Odin Sánchez”, antigo congressista sequestrado pela ELN.

O Governo e a ELN tinham acordado iniciar negociações a 27 de outubro em Quito, Equador, mas o Presidente colombiano, Juan Manuel Santos, adiou a viagem da delegação que vai dirigir as negociações à espera da libertação do antigo congressista.

A 7 de novembro, o comandante da ELN, Nicolás Rodríguez Bautista, conhecido como “Gabino”, condicionou a libertação do antigo congressista ao indulto de dois guerrilheiros pelo Governo colombiano.

No comunicado de quinta-feira, a delegação do Governo afirma que os casos de indultos “devem cumprir estritamente com as condições previstas na lei vigente”.

O Governo agradece também ao Equador e a outros países envolvidos no processo (Brasil, Chile, Cuba, Noruega e Venezuela) o “acompanhamento constante e apoio” para iniciar a fase pública de diálogo.