O avião que transportava a equipa da Chapecoense, que se despenhou na Colômbia no passado dia 29 de novembro, não foi reabastecido de combustível devido a uma atraso. O motivo do mesmo foi por causa de um vídeo-jogo, segundo avança o Daily Mail.

Um dos jogadores terá pedido para ir buscar o aparelho eletrónico que se encontrava na sua mala, no porão. A procura pelo mesmo provocou um atraso de cerca de 20 minutos e já não permitiu que o avião pudesse reabastecer-se num aeroporto em Cobija, na fronteira do Brasil com a Bolívia, uma vez que este não está em funcionamento depois da meia noite.

Isto é confirmado ao jornal Daily Mail pelo jogador Demerson Costa, que não viajou com a equipa para a Colômbia por ter contraído uma lesão duas semanas antes da final da Copa Sul-Americana. Este conta que Chinho Di Domenico, diretor de futebol da Chapecoense enviou um mensagem para o grupo de Whatsapp – onde estão a maioria dos membros do clube de futebol – em que contava o sucedido minutos antes de descolarem .

Demerson Costa, conta que “a última mensagem enviada para o grupo foi do Chinho, a gozar com o facto de um dos jogadores ter atrasado o voo na Bolívia, porque se tinha esquecido do jogo numa das malas que foi sido despachada. Ele [Chinho] disse que o voo tinha sido adiado enquanto o tentavam encontrar. O jogador contou ainda que utilizam esse grupo para desejar, por exemplo boa sorte antes dos jogos uns aos outros.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Demerson Costa afirmou também ao jornal inglês que está a viver “o momento mais difícil da minha carreira de da minha vida”.

Este acidente, recorde-se, vitimou 71 das 77 pessoas que iam a bordo. 44 eram membros do clube de futebol Chapecoense, 22 jornalistas e 9 tripulantes. Seis pessoas sobreviveram: 3 jogadores da chapecoense, um jornalista e dois membros da tripulação.