O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que recebeu Guterres esta sexta-feira na Casa Branca, referiu que tê-lo como secretário-geral da ONU será importante numa altura em que os desafios mundiais e a incerteza continuam a aumentar.

[Guterres] vai assumir um cargo que, obviamente, tem uma enorme influência e impacto em todo o mundo. As boas notícias são que tem uma reputação extraordinária, de alguém que liderou organizações multilaterais ao mais alto nível, e que o fez de formas que toda a gente reconhece terem sido muito eficientes”, disse Obama antes do encontro.

Obama disse que o português “tem sido aplaudido pela sua eficácia, a sua eficiência e a sua habilidade em ajudar pessoas em extraordinária necessidade” e que tinha sido surpreendido por quão rapidamente a sua escolha tinha acontecido.

A designação de Guterres simboliza o respeito que tem em todo o mundo”, disse.

Barack Obama, que abandona a presidência em janeiro, disse ainda que a ONU é uma parceira em “quase tudo” o que o seu país faz.

“A nossa parceria com as Nações Unidas tem ajudado a resolver conflitos e a desenvolver sistemas muito necessários para enfrentar grandes desafios transnacionais, como o fluxo de refugiados ou, mais recentemente, mudanças climáticas, numa altura em que os desafios crescem e que existe grande incerteza a volta do mundo”, acrescentou.

O democrata disse ainda que é importante que “a ONU opere de forma eficiente, que o dinheiro seja bem gasto” e que Guterres é conhecido por implementar essas boas práticas de gestão.

Tenho grande confiança de que o próximo secretário-geral seja capaz de ser um líder extraordinariamente eficaz. E os EUA estão ansiosos por trabalhar consigo”, concluiu Obama.

António Guterres, por seu turno, expressou o seu “total compromisso” em trabalhar em estreita colaboração com Obama e com o presidente eleito Donald Trump. Disse que o mundo precisa de uma ONU mais eficaz, também em termos económicos, e com uma abordagem reformista, adiantando estar comprometido com tal objetivo, partilhado pelos Estados Unidos.

No início do mês, Guterres já se tinha encontrado com o secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, que considerou o secretário-geral designado da ONU o “homem certo para o momento”.

Ex-Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados, Guterres foi eleito em outubro para suceder a Ban Ki-moon e presta juramento no próximo dia 12 e inicia o seu mandato a 01 de janeiro de 2017.