Comer uma mão cheia de frutos secos por dia pode reduzir o risco de doenças cardiovasculares, cancro e até contribuir para que viva durante mais tempo. Estas são as conclusões de um estudo do Imperial College London, avançado pelo The Telegraph, que mostra que aqueles que consomem, pelo menos, 20g diários de nozes, amêndoas, avelãs, amendoins, pistachos e cajus, estão sujeitos a um menor risco de contrair algumas doenças graves.

De acordo com este estudo, comer o equivalente a uma mão cheia desta variedade de frutos reduzirá o risco de doenças cardiovasculares em 30%, o risco de cancro em 15% e reduzirá ainda as probabilidades de morrer de forma precoce em 22%. Além disso, este hábito alimentar pode ainda diminuir em 40% o risco de diabetes e a morte por doenças respiratórias.

Os investigadores consideram que estes benefícios provêm do valor nutricional dos frutos de casca rija. As nozes e os amendoins são ricos em fibras, magnésio e gorduras poliinsaturadas. Este tipo de nutrientes é benéfico para reduzir o risco de doenças cardiovasculares e os níveis de colesterol. Algumas variedades de noz, como a noz pecan, são ricas ainda em antioxidantes, capazes de combater sintomas de stress e reduzir o risco de cancro”, revela Dagfinn Aune, um dos autores deste estudo, ao The Telegraph.

A equipa de investigação do Imperial College London analisou dados de 29 estudos e contou com a participação de cerca de 800.000 pessoas que, durante o período em que se realizou a pesquisa, comeram uma vasta variedade deste tipo de frutos secos.

Apesar de ter havido alguma variação nos resultados obtidos entre as pessoas estudadas – entre homens e mulheres, pessoas que vivem em regiões diferentes e pessoas com vários fatores de risco -, os investigadores chegaram à conclusão que o consumo de nozes (e os frutos secos de casca rija em geral) contribuiu mesmo para a redução do risco de contrair certas doenças na maioria dos envolvidos.