O Presidente do Brasil, Michel Temer, disse esta quarta-feira que o Senado (câmara alta do parlamento) votará um projeto que estabelece limites para os gastos públicos no país na próxima terça-feira.

Ao ser questionado sobre o projeto à saída de um evento realizado esta quarta-feira, o Presidente brasileiro disse que “seguramente” a matéria será votada.

A declaração acontece dois dias depois de uma providência cautelar de um juiz do Supremo Tribunal Federal para o afastamento do presidente do Senado e grande aliado do Governo, Renan Calheiros.

Apesar de o afastamento ter sido determinado pela mais alta instância judicial do país, o senador ainda não cumpriu a decisão judicial, esperando uma votação que acontecerá hoje com todos os juízes do STF.

Esta votação é primordial para manter os planos do Governo em relação à legislação que estabelece os limites para os gastos públicos porque se Renan Calheiros for obrigado a sair do cargo, será substituído pelo vice-presidente do Senado, Jorge Viana, do Partido dos Trabalhadores (PT), partido que se manifestou publicamente contra o projeto.

Estabelecer um teto para os gastos públicos é considerada uma ação primordial por Michel Temer e a sua equipa, que pretendem controlar o endividamento do país e dar um sinal de que adotarão políticas de austeridade para reconquistar investimentos e fazer a economia crescer.

Se não for votada na próxima semana, esta emenda constitucional deverá ser apreciada apenas em fevereiro de 2017 já que o parlamento do Brasil entrará na pausa de verão a partir de dia 20 de dezembro.