Donald Trump vai escolher o ex-governador do Texas Rick Perry para o cargo de Secretário da Energia, de acordo com aquilo que fontes próximas da equipa de transição do Presidente eleito disseram ao The New York Times e à CNN. Além da gestão dos recursos energéticos do país, o Departamento de Energia monitoriza o programa de armamento nuclear dos EUA.

Durante os dois mandatos de Barack Obama o Departamento de Energia tem trabalho sentido de aumentar o uso de energias renováveis — algo que Rick Perry deverá apagar, se se confirmar a sua nomeação para o cargo de Secretário da Energia.

Rick Perry foi candidato às primárias do Partido Republicano em 2012 e foi novamente candidato em 2016, mas desta vez não chegou a ir a votos. Em 2011, num debate entre os candidatos à nomeação dos republicanos, Rick Perry protagonizou um momento menos feliz da sua parte, quando quis elencar três ministérios/departamentos que iria abolir assim que chegasse ao poder, referindo que “é preciso termos um plano onde possamos pôr as mãos”. E depois garantiu: “Quando eu chegar lá são três as agências que vão desaparecer. O comércio, a educação e a… qual é a terceira?, deixem-me ver”.

A terceira, Rick Perry veio mais tarde a reconhecer, era o Departamento de Energia. Isso mesmo: aquele que ele agora vai dirigir.

Depois daquele debate, disse: “Apesar de eu ter esquecido a energia, o que interessa é que eu não me esqueci dos meus princípios conservadores e é disso que esta campanha é feita”.

Já nas eleições primárias do Partido Republicano de 2016, Rick Perry e Donald Trump protagonizaram alguns episódios de conflito. A certa altura, Rick Perry disse que o milionário nova-iorquino era “um cancro no conservadorismo”. Já Donald Trump tweetou que o ex-governador do Texas tinha feito “um péssimo trabalho” a proteger a fronteira do estado com o México.