Entre julho e setembro, a taxa de empregos disponíveis na zona euro subiu 0,1 pontos em termos homólogos (para os 1,6%), mas recuou 0,1 pontos face ao segundo trimestre, divulgou o divulga o Eurostat. Em Portugal manteve-se, foi de 0,7%, estável face ao trimestre anterior mas acima da do mesmo período de 2015 (0,6%).

No conjunto dos 28 Estados-membros da União Europeia (UE), a taxa de empregos disponíveis foi de 1,8% no terceiro trimestre do ano, estável na variação em cadeia e 0,2 pontos percentuais acima da homóloga.

As menores taxas de emprego disponíveis foram registadas em Portugal e Espanha (0,7% cada), na Grécia, na Bulgária e na Polónia (0,8% cada). Segundo o gabinete oficial de estatísticas da UE, as mais altas verificaram-se na República Checa (3,1%), na Bélgica (2,9%), no Reino Unido (2,5%), na Alemanha (2,3%).