Um navio chinês apreendeu esta quinta-feira um drone submarino americano, no Mar da China Meridional. Os Estados Unidos (EUA) protestaram e exigiram a sua devolução. O drone foi encontrado e confiscado pela China a cerca de 500 metros de um navio de pesquisa oceanográfica americano (um USNS Bowditch), com uma equipa na sua maioria civil. O navio dos EUA ainda entrou em contacto com o navio chinês exigindo-lhe o drone de volta, mas os chineses ignoraram o pedido e abandonaram a área.

Um oficial americano explicou ao The Washington Post que o drone americano faz parte de um programa não confidencial de recolha de dados oceanográficos acerca das condições das águas internacionais. “Os EUA, através dos seus próprios canais diplomáticos, demarcaram os chineses exigindo o retorno das nossas coisas”.

Armas nas ilhas artificiais

Os EUA alertam para as imagens recolhidas por satélite — pela Iniciativa de Transparência da Ásia Marítima (AMTI) –, divulgadas quarta-feira, que dão conta que a China instalou armas e sistemas militares (anti mísseis) nas sete ilhas artificiais que construiu no Mar da China Meridional.

rdrg

A informação vem desmentir o presidente chinês Xi Jinping, que tinha dito que o país não tinha quaisquer intenções de militarizar as ilhas, e aumenta a tensão entre os vários países asiáticos que reclama o Mar da China Meridional, como o Vietname, as Filipinas, a Malásia e Taiwan.

O porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, Geng Shuang, disse à Reuters que “a China construir instalações necessárias para a defesa do território é completamente normal”. Já o diretor da AMTI, Greg Poling, garante que os chineses se estão a preparar “para um conflito futuro“.