O primeiro-ministro moçambicano, Carlos Agostinho do Rosário, afirmou esta sexta-feira em Maputo que os jovens e adolescentes devem ser o centro das políticas de desenvolvimento do país, assinalando o peso demográfico das duas faixas etárias em Moçambique.

Falando na abertura da reunião do Comité Intersetorial de Apoio ao Desenvolvimento de Adolescentes e Jovens (CIADAJ), uma entidade que reúne associações juvenis e pelouros do Governo para a juventude, Carlos Agostinho do Rosário sublinhou que este grupo etário constituiu um elemento chave na governação.

“Precisamos de jovens na implementação do programa de governação, por isso, o Estado aprovou a Política da Juventude, cujo objetivo é fundamentalmente assegurar que a juventude moçambicana tenha uma vida longa e saudável”, afirmou o primeiro-ministro.

A política, prosseguiu Carlos Agostinho do Rosário, assente na combinação de uma saúde, educação e trabalho dignos e remuneração compatível, bem como habitação condigna, como resultado de uma sólida formação técnico-profissional e vocacional.

“É obrigação do Estado adotar medidas que incentivem as iniciativas dos jovens e a sua participação no processo de planificação e implementação dos programas de desenvolvimento”, acrescentou.

Carlos Agostinho do Rosário exortou a juventude moçambicana a ser mais responsável, proativa nas escolhas e persistente nos seus sonhos.

“Queremos que a juventude continue a ser o eixo pelo qual gravita o desenvolvimento do nosso país”, enfatizou Rosario.