Donald Trump pode ter sido eleito pela classe trabalhadora por ser diferente do ‘estabilishment’, mas a equipa que escolheu parece estar a anos luz da realidade do povo que o elegeu já que, segundo da revista Quartz, a riqueza combinada dos 17 escolhidos pelo presidente eleito é equivalente a 9,5 mil milhões de dólares, mais que a riqueza combinada de um terço das famílias norte-americanas.

Conhecido pela sua riqueza e luxos, o tema a que é mais sensível nos ataques que lhe fazem, Donald Trump parece estar a criar uma administração à sua imagem. Nem que seja da sua declaração de rendimentos (ainda por conhecer).

A revista Quartz fez as contas e diz que os 17 eleitos até agora por Donald Trump para a futura administração – ainda faltam seis nomes – têm uma riqueza combinada de 9,5 mil milhões de dólares, superior à riqueza de pelo menos 43 dos 126 milhões de famílias norte-americanas.

Estas contas são feitas tendo como base um inquérito às finanças dos consumidores cujos dados mais recentes são de 2013 e contam com os 13% de famílias que não têm riqueza, ou está em valores negativos, porque têm dívidas.

Mesmo que a comparação fosse feita com as famílias com uma riqueza média, seriam precisas 120 mil famílias para conseguirem chegar à riqueza acumulada de apenas quatro dos membros da nova administração (os mais ricos): Betsy DeVos, Wilbur Ross, Linda McMahon e Rex Tillerson.