As famílias com crianças gastam em média mais 44% que os agregados familiares sem crianças dependentes, revela o Instituto Nacional de Estatísticas (INE). Num destaque sobre os orçamentos familiares, o INE revela que a diferença de despesa nos dois casos é de 658 euros por mês. Os números resultam dos resultados provisórios do inquérito às despesas das famílias.

Uma família com crianças gasta em média 25.892 euros por ano, valor que desce para 17.997 euros no caso de não existirem filhos menores dependentes. Os números reportam-se aos anos de 2015/2016. Mas quando comparamos com os dados apurados em 2010/2015, verificamos um decréscimo de 3,3 pontos percentuais nos gastos anuais das famílias com crianças. Já a despesa anual para agregados sem filhos menores subiu 7,7 pontos percentuais no mesmo período.

As famílias com crianças gastam mais em ensino, saúde e transportes, enquanto que para os os outros agregados familiares, a despesa que mais pesa é a habitação.

Para a generalidade das famílias, a habitação, água e energia é a maior fatura no bolo das despesas, representando 31,8%. Alimentação e bebidas valem 14,4%. As duas rubricas absorvem 60,9% das despesas familiares.

Os gastos médios anuais das famílias aumentaram 2,6% em termos nominais em 2015/16, atingido um valor médio anual de 20.916 euros. Mas quando se faz a conta ao aumento a preços constantes, conclui-se que houve uma diminuição de 4,2% desde 2010/11.

As despesas com habitação, água, eletricidade, gás e outros combustíveis cresceram 2,6% nestes cinco anos. No mesmo período, as famílias cortaram nos gastos em restaurantes e hotéis, pelo menos o seu peso no total caiu 2,2 pontos percentuais, e em lazer, recreação e cultura cuja percentagem passou de 5,3% para 4,2%.