O Presidente da República disse esperar que, na reunião desta segunda-feira, os parceiros sociais discutam questões como legislação laboral ou rendimentos dos trabalhadores, além da fixação do salário mínimo para 2017.

Além da fixação do salário mínimo, “numa concertação social, importa a parte dos rendimentos, a parte fiscal, da Segurança Social, a formação profissional, a legislação laboral. Há um conjunto de componentes que tem a ver com o quadro social”, afirmou, esta segunda-feira, Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas, no concelho de Torres Vedras.

Para o chefe de Estado, “um acordo de concertação social a médio prazo é importante para o país”.

Sobre os resultados do diálogo mantido entre Governo e os lesados do BES, cujos resultados vão ser conhecidos esta segunda-feira, o Presidente da República disse que “espera para ver”, remetendo para mais tarde uma eventual posição.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Marcelo Rebelo de Sousa falava à margem de uma visita ao Centro de Apoio Social de Runa, um lar residencial de familiares de antigos militares das Forças Armadas no concelho de Torres Vedras.

O Presidente da República explicou que se tratou de uma “visita simbólica”, que retrata a “sintonia com o Governo” em matéria de Defesa, cujo ministro da tutela também esteve presente.