O nome acompanha-nos há muito e a sua história é tão longa que quase se funde com a História do nosso próprio país. Criada em 1840, a Associação Mutualista Montepio é pioneira em Portugal no tipo de apoio que veio garantir: proteção social e soluções de poupança.

Assistiu e resistiu às mais diversas transformações históricas e sociais que o país sofreu ao longo de 176 anos e ainda hoje subsiste, renovada e cada vez mais consolidada. Tida como uma referência no setor, é especialista no acompanhamento dos portugueses ao longo de toda a vida, dando-lhes o apoio de que necessitam a cada momento, desde o nascimento até à reforma.

O posicionamento que assume é amplamente reconhecido, o que se prova pelos mais de 632 mil associados que reúne atualmente – número que garante à Associação Mutualista Montepio a posição de maior mutualidade e maior associação portuguesa, além de uma das maiores da Europa.

Quando os trabalhadores se organizam

Uma história destas faz-se de muita dedicação e ousadia, tendo como principal responsável Francisco Álvares Botelho, na altura funcionário da Fazenda Pública. Inicialmente designada Montepio dos Empregados Públicos, a instituição foi criada com o objetivo de “responder às necessidades de uma sociedade civil que assistia ao surgimento de novas classes sociais e caminhava para a industrialização e proletarização sem qualquer apoio de âmbito social ou previdencial garantido pelas instituições públicas”, como nos explica a Rita Pinho Branco, Diretora de Comunicação da Associação Mutualista Montepio.

Foi, pois, das classes trabalhadoras que partiu a “clarividência quanto às mais-valias da disseminação do risco individual pelo risco coletivo”, o que acabou por se revelar “a força impulsionadora das associações profissionais e da criação de redes de segurança capazes de defender direitos sectoriais e interesses comuns, como as mutualidades, de que é exemplo a Associação Mutualista Montepio”.

Mostrar Esconder

Nos seus primeiros estatutos, os fins da Associação Mutualista Montepio foram definidos em dois artigos:

  1. “São fins da Sociedade prestar socorro aos sócios, aos parentes dos mesmos, ou a estranhos ‘credores da sua gratidão’”;
  1. “Basear no seu capital a fundação de uma caixa económica, fazer empréstimos sôbre penhores, a juro razoável, e descontos de ordenados dos sócios”.

Organização adaptável e moderna

Mas como é que uma organização tão antiga consegue adaptar-se às exigências da modernidade, atualizando-se sem deixar de ser fiel aos seus princípios? A Associação Mutualista Montepio confirma que, desde a sua origem, muitos têm sido os contextos sociopolíticos e económicos enfrentados pela Associação e pelo país, nomeadamente, o Ultimatum Britânico, as duas guerras mundiais, a Crise de 1929, a Guerra Colonial e, mais recentemente, a crise de 2008-2009. “Durante todos estes momentos, a Associação, fiel à sua natureza social, garantiu apoio a pessoas e famílias, assim como ao desenvolvimento da economia e do país”, reforçou a responsável.

Algumas das suas características imanentes ajudaram ao sucesso: “A natureza de instituição da economia social, a independência face ao poder político e económico e a missão principal de gerar valor para a comunidade associativa e para a sociedade funcionaram como alavancas para a constituição de um grupo de empresas que se apresenta sob a marca Montepio”.

Com efeito, debaixo desta chancela encontram hoje, não só a maior associação mutualista do país, como “uma instituição financeira entre as líderes no plano nacional, um grupo sólido de empresas – com serviços que vão dos seguros à gestão de centros residenciais – apresentando-se como um exemplo de como a economia pode ser colocada ao serviço da sociedade”.

mariza-mundo-360-470-300

As várias frentes de atuação da Associação Mutualista Montepio não são mais do que a concretização da sua visão, como explica a Rita Pinho Branco: “A atividade orientada para responder às necessidades da população e, mais especificamente, da comunidade associativa, nos domínios da previdência e proteção social, assim como da valorização das poupanças e à afirmação da economia social são dimensões que integram a visão da Associação e lhe conferem uma inequívoca utilidade pública e social.”

O fato de a Associação contribuir para o fortalecimento do setor social da economia, afirmando-o junto da sociedade civil, leva a que a mutualidade acredite contribuir assim para “uma sociedade que se deseja mais sustentável, coesa e inclusiva”.

Soluções para todos os momentos da vida

Na prática, a Associação Mutualista Montepio coloca à disposição dos associados diversas soluções de poupança e proteção, adequadas a todas as necessidades e momentos da vida, salientando-se que “a atividade da Associação é de complemento à previdência social pública”.

Segundo a Rita Pinha Branco, “todos os ciclos de vida encontram aqui uma solução mutualista de proteção ou poupança dedicada e adaptada ao quadro de necessidades. Aliás, tratando-se de uma associação mutualista, a atuação não poderia ser diferente”, justifica, acrescentando que “prova disso mesmo é o associativismo de natureza familiar, isto é, são raros os casos de associados que não trazem consigo outros elementos da família, sendo comum termos várias gerações de associados numa mesma família”.

Entre as diversas soluções disponíveis encontram-se as destinadas aos mais novos, como a modalidade Poupança Complementar Jovem. Em idade ativa, é possível recorrer ao Capital Certo 2017-2022-1ª serie (series comercializadas mensalmente), ao Proteção 5 em 5, uma modalidade mutualista de poupança e proteção a prazo que permite programar despesas e usufruir, a cada cinco anos, de um capital extra, ou ainda à Poupança Complementar Ativo, entre muitas outras modalidades.

A idade da reforma não foi esquecida para preparar esta etapa da vida e muitas soluções estão disponíveis, como é o caso dos Planos Poupança Reforma e da modalidade Poupança Reforma Mais.

Parcerias e descontos

Além das inúmeras soluções de poupança e proteção, a Associação Mutualista Montepio garante um alargado número de benefícios e vantagens aos associados, nomeadamente através de uma rede de mais de 1200 entidades parceiras que operam nas áreas da saúde, turismo, ensino, lazer, entre outras. A possibilidade de usufruir de diversas vantagens verifica-se igualmente no universo de empresas que constituem o Grupo Montepio. Entre as mais-valias de se tornar associado, inclui-se também o acesso a mais de 5 mil pontos de desconto em todo o território nacional, resultantes dos protocolos firmados com empresas nacionais e internacionais.

Montepio apoia a cultura

O leque de atuação da Associação Mutualista Montepio é muito vasto e contempla ainda uma ampla atividade cultural. De acordo com Rita Pinho Branco, “a Associação é socialmente ativa e entende a cultura como força agregadora, geradora de experiências e fortalecedora de ligações”.

Nesse sentido, “a cultura constitui um território no qual a Associação encontra condições para cumprir a sua missão e para levar às pessoas, de norte a sul do país, o que de melhor se faz em Portugal e em língua portuguesa”. Com efeito, são vários os apoios e patrocínios da Associação concedidos às diversas formas de expressão artística – teatro, música ou exposições, etc. – resultando em descontos diretos aos associados Montepio na compra de bilhetes e entradas.

jorge-palma-so-25-anos-954-370

Nas artes, a música é muito valorizada e, atualmente, a Associação patrocina também o Festival Montepio às Vezes o Amor, que terá lugar por ocasião do Dia dos Namorados, garantindo, nos dias 11 e 14 de fevereiro, a atuação de grandes nomes da música nacional no coração de 12 cidades portuguesas. Da mesma forma, também Jorge Palma, Mariza, Deolinda, Ricardo Ribeiro, Gisela João ou o Camané, entre tantos outros artistas portugueses que contam com o apoio da Associação.

E é isso que a Associação Mutualista faz. Todos os dias. Desde há 176 anos.