Cultura

“Amália – o Musical”, de Filipe la Feria, volta a cartaz em janeiro

A peça "Amália -- o Musical", de Filipe la Feria regressa ao palco do Teatro Politeama, em Lisboa, em janeiro, anunciaram as Produções La Feria.

Miguel A.Lopes/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A peça “Amália — o Musical”, de Filipe la Feria, que também encena, regressa ao palco do Teatro Politeama, em Lisboa, em janeiro, anunciaram as Produções La Feria. “Atendendo a centenas de pedidos, o Teatro Politeama [em Lisboa] vai pôr de novo em cena ‘Amália – o Musical’ no próximo mês de janeiro”, lê-se no comunicado divulgado este sábado.

“Amália — o Musical”, protagonizado por Alexandra, no papel de Amália Rodrigues, estreou em finais de 1999 no Casino do Funchal, na ilha da Madeira. Em seguida a peça esteve em cena no Teatro Politeama e no S. Luiz, em Lisboa, bem como no Auditório do Casino Estoril, entre outras salas como a do Zenith, em Paris.

Em “seis anos em cena com 1.375 representações”, a peça registou “mais de três milhões de espetadores”, segundo a mesma fonte.

“‘Amália – o Musical’ de Filipe La Féria, foi uma das últimas vontades de Amália Rodrigues que em 1998 manifestou ao encenador o desejo de ver a sua vida num grande musical. Em 1999 o musical subiu a cena no Casino do Funchal tornando-se no maior sucesso de sempre a nível nacional e internacional do espetáculo em Portugal que, só em Paris teve cinquenta mil espectadores na sua apresentação no Zenith, percorrendo todas as capitais francesas e suíças e ultrapassando todos os recordes de audiências”, segundo a mesma fonte.

A “nova versão terá a participação de todo o elenco original”, entre eles, Alexandra, Anabela, Liana, Carlos Quintas e Tiago Diogo. Um elenco com “mais de 50 fadistas, atores, bailarinos e músicos”, remata o teatro.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Paris

A morte das catedrais

António Pedro Barreiro
423

A separação forçada entre a beleza e a Fé é lesiva para ambas as partes. O incêndio em Notre-Dame recorda-nos isso. Recorda-nos que as catedrais não são montes de pedras.

Política

A protecção da família em Portugal

Luiz Cabral de Moncada

A família, enquanto célula principal da sociedade e berço da moral, como bem se sabe na Calábria, está mais garantida do que nunca. Nunca será esquecida pelos partidos quando no poder político.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)