Os passageiros do voo líbio, que foi desviado para Malta, deixaram este sábado a ilha mediterrânica para regressar a casa, com as autoridades preparadas para interrogar os dois sequestradores que se renderam. A Afriqiyah Airways enviou um aparelho para levar os mais de 100 passageiros de regresso à Líbia. O ministro do Interior de Malta, Carmelo Abela, afirmou que os passageiros foram interrogados pela polícia antes de terem partido para a Líbia.

Os dois sequestradores líbios desviaram o voo interno na sexta-feira para a Líbia para pedir asilo na Europa e criar um novo partido político em honra do antigo ditador Muammar Kadhafi, afirmaram fontes oficiais.

Após horas de negociações, o sequestro terminou pacificamente com os sequestradores a renderem-se e a saírem do avião depois de terem libertado as 117 pessoas que seguiam a bordo.

Fontes da polícia de Malta informaram que os sequestradores, que ameaçaram explodir o avião com granadas, poderiam ser interrogados hoje, mas sublinharam que a investigação vai continuar.

O aparelho da Afriqiyah sequestrado continua estacionado no aeroporto internacional de Malta e está a ser guardado pelas Forças Armadas de Malta.