No início de dezembro, Edgar Welsh, um norte-americano de 28 anos, guiou, armado, até uma pizzaria, que fica a oito horas de sua casa, para libertar um grupo de crianças que supostamente estariam a ser utilizadas como escravas sexuais, numa rede de prostituição encabeçada por Hillary Clinton. Bizarro? Talvez. Mas a notícia foi partilhada centenas de vezes. Quando chegou à pizzaria, Welsh começou a disparar para “libertar as crianças”, disse o jovem, mais tarde, em tribunal. A notícia tinha circulado no Facebook e no Twitter todo o dia.

Esta semana, o ministro da Defesa do Paquistão, Khawaja Muhammad Asif, prometeu lançar um ataque nuclear sobre Israel como retaliação por um outro ataque que Israel, de facto, nunca teve intenção de lançar. Um artigo publicado dia 20 de dezembro no site AWDnews diz que o ex-ministro da Defesa de Israel ameaçou destruir o Paquistão num ataque nuclear se o país enviasse tropas para a Síria para combater o auto-proclamado Estado Islâmico (Daesh).

Segundo o ADWnews, Moshe Yaalon terá dito que “se, em alguma circunstância, o Paquistão chegar à Síria saberemos o que fazer: destruí-los com um ataque nuclear”. Aparentemente crente na ameaça do ex-ministro da Defesa israelita, que, de qualquer forma, não poderia ordenar qualquer ataque (Avigdor Lieberman é o atual ministro da Defesa de Israel), Muhammad Asif respondeu, pelo Twitter, lembrando a Israel que “o Paquistão também é um estado nuclear”.

https://twitter.com/KhawajaMAsif/status/812370140507545600?ref_src=twsrc%5Etfw

O Ministério da Defesa de Israel já veio dizer que as declarações atribuídas ao ex-ministro da Defesa “nunca foram proferidas” e que “as notícias às quais o ministro da Defesa paquistanês de refere são totalmente falsas”.

Um outro caso com ramificações pessoais graves foi o de Kaci Hickox, a enfermeira norte-americana que esteve na Serra Leoa a combater a epidemia de ébola, e que teve que lutar para manter o seu apartamento quando voltou a casa, no Maine, por culpa de uma notícia falsa onde se lia que ela continuava com sintomas e que podia espalhar a doença pela cidade.