Os cientistas experimentaram juntar átomos de cobre e enxofre e moléculas de diamante e o resultado foram os fios mais finos alguma vez criados. Estes fios medem-se à escala de nanómetros, isto é, em milionésimos de milímetros, e podem permitir que os aparelhos eletrónicos sejam cada vez mais pequenos e potentes, uma vez que será possível construir circuitos eletrónicos ainda mais compactos, conta a Quartz.

A descoberta foi feita por uma equipa da Universidade de Stanford e do Departamento de Energia dos Estados Unidos da América (SLAC). O segredo está em juntar fragmentos de diamante do tamanho de moléculas com átomos de enxofre, que depois se associam a átomos de cobre. O resultado é um fio com apenas três átomos de espessura revestido pelas moléculas de diamante. O estudo foi publicado no Nature Materials.

Este trabalho é importante porque prova que é possível construir estruturas que sejam feitas à escala dos átomos. Nicholas Melosh, professor na área das ciências e engenharias na Universidade de Stanford e também associado à SLAC, liderou o estudo e afirmou que um dos maiores desafios foi conseguir ter condições para que as forças que atraem os átomos e as moléculas, para que se associem e fiquem juntas, estejam em sintonia com as que as separam.

Para desenvolver este nanofio os cientistas utilizaram petróleo do Arkansas, que tem muitas impurezas, diferentes de local para local. O petróleo utilizado tinha microfragmentos de diamantes do tamanho de moléculas. Os átomos de carbono dos diamantes são alterados quimicamente em laboratório de forma a que se liguem aos de enxofre.

As moléculas de diamante funcionam assim como uma espécie de cola que reveste o fio e impede que os átomos de enxofre e cobre se separem. Os cientistas prosseguem com o seu estudo, estando agora a verificar se é possível produzir este nanofio em massa. Mais: estão a realizar testes com outros materiais, como o ouro ou o ferro.