Mário Soares continua em coma profundo, e o seu estado de saúde registou um “progressivo agravamento”. A informação foi dada esta manhã pelo porta-voz do Hospital da Cruz Vermelha, José Barata. Ao contrário dos dias anteriores, o porta-voz do hospital não marcou para sexta-feira um novo boletim clínico, sublinhando que irá prestar novas informações “quando se justificar”.

“Há um sinal de degradação das funções orgânicas. O estado mantém-se muito crítico, prognóstico reservado, embora não se tenha ainda verificado qualquer falência ao nível de qualquer órgão vital”, acrescentou ainda José Barata. O antigo chefe de Estado “continua sem necessidade de ter qualquer suporte externo, não está ligado a qualquer máquina”, afirmou o porta-voz.

“A equipa clínica continua a acompanhar de forma constante a evolução do estado de saúde do Presidente Mário Soares”, sublinhou, acrescentando: “Assim que houver necessidade de fazer novo comunicado à comunicação social, ele será feito”.

Mário Soares está internado deste a madrugada de 13 de dezembro no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, onde tem sido mantido sob vigilância permanente. O antigo Presidente da República, de 92 anos, estava acamado há vários dias quando teve de ser internado depois de um “agravamento do seu estado geral”, informou na altura o porta-voz da instituição.

Soares esteve durante dez dias nos cuidados intensivos, de onde saiu no dia 23 para a unidade de internamento em regime reservado. Só lá esteve um dia, pois no dia 24 teve de regressar aos cuidados intensivos, em estado “muito crítico”, segundo José Barata. O antigo chefe de Estado está em coma profundo desde segunda-feira.

O Hospital da Cruz Vermelha tem emitido boletins clínicos sobre a saúde de Mário Soares diariamente.