O Hospital da Cruz Vermelha informou este sábado que o estado de saúde de Mário Soares “mantém-se estável e com parâmetros vitais a níveis normais”, embora permaneça em “coma profundo” e com “prognóstico muito reservado”. A partir de agora, os boletins clínicos só serão tornados públicos (como até aqui) se houver alteração do estado de saúde do antigo Presidente da República.

O comunicado foi lido à porta do hospital onde Soares está internado desde o dia 13 de dezembro, pelo porta-voz José Barata que explicou que “não havendo nada de novo que o justifique, não faz sentido boletins clínicos diários. O Hospital da Cruz Vermelha em conjunto com a família decidiram que só voltará a ser feita nova informação clínica quando houver alteração do estado de saúde”.

Mário Soares foi internado a 13 de dezembro, ficando nos primeiros dias num estado de inconsciência que foi sofrendo alterações positivas nessa primeira semana, com o antigo Presidente a ter chegado a ser transferido dos cuidados intensivos do Hospital da Cruz para a unidade de internamento. Mas na véspera de Natal, o seu estado de saúde agravou-se e o Soares ficou em coma profundo. O seu sobrinho, o médico Eduardo Barroso, explicou na sexta-feira que a família decidiu que Soares não será ligado a aparelhos de suporte externo às funções vitais.