A Disney, que é proprietária da Lucasfilm e do franchise da Star Wars, deverá receber quase 50 milhões de euros devido a uma apólice de seguro de proteção de contrato que tinha com a recentemente falecida atriz Carrie Fisher, conta o The Telegraph. Mais: a morte da atriz pode fazer com que a Disney receba um dos mais elevados pagamentos por acidentes pessoais de toda a história.

Esta apólice terá sido criada com a Lloyds de Londres, de forma a proteger a Disney caso a atriz não conseguisse concluir as gravações acordadas para o filme Star Wars, incluindo o The Force Awakens, 2015, e outros dois filmes adicionais.

Carrie Fisher terminou de gravar o episódio VIII, que foi lançado em dezembro, mas a sua personagem iria aparecer de novo no episódio seguinte, que ainda não tinha começado a ser gravado. Claro está que, como a morte da atriz é ainda recente, não houve qualquer indicação se a personagem Leia irá, ou não, continuar a aparecer na saga. Há, no entanto, quem especule que se possa fazer uso da tecnologia para “ressuscitar” digitalmente a personagem, conta o The Telegraph.