Robert Marchand tem 105 anos e provou que o ciclismo também é para “velhos”. Aos 102 anos pedalou tanto que obrigou a União Ciclista Internacional a criar uma nova categoria para os ciclistas acima dos 100 anos. Esta quarta-feira, quebrou o seu próprio recorde.

O ciclista francês quebrou o recorde de quilómetros percorridos em uma hora, na categoria dos 105 anos ou mais. Fez 22,547 quilómetros, em 92 voltas, no velódromo nacional de Saint-Quentin-en-Yvelines, perto de Paris. Sabia que a prova ia ser dura e as expetativas grandes mas não estava ali para ganhar, como assegurou à AFP.

Não estou aqui para ser campeão. Estou aqui para provar que aos 105 anos podes andar de bicicleta.

Robert ainda brincou: “Se fizer 30 quilómetros vão dizer que estava dopado!”. Não os fez, mas já esteve lá perto. Este não é o seu primeiro recorde. Há três anos percorreu 26.927 quilómetros em uma hora, obrigando a União Ciclista Internacional (UCI) a criar uma categoria especialmente para si, a dos ciclistas com idade superior a 100 anos.

Robert trabalhou como bombeiro e praticou desporto toda a sua vida (foi campeão de ginástica e fez boxe) e chegou a estar preso por ter recusado dar aulas de desporto aos filhos dos colaboradores da Alemanha nazi. A sua ligação ao desporto fez com que adotasse um estilo de vida bastante saudável: pouco café, nenhum tabaco e muita fruta e vegetais. Nunca esteve doente. Um dos seus treinadores, Jean-Michel Richefort, explica que Robert tem um coração excecional, de uma pessoa de 60 anos. Ainda assim, não se considera um fenómeno:

Não estou em tão boa forma como estava há uns anos. Se estivesse seria um fenómeno, mas não sou”, assegura o ciclista sénior.

Robert Marchand faz entre 10 a 20 quilómetros na bicicleta todos os dias mas toma as devidas precauções: “Não treino lá fora. Tenho medo de apanhar uma constipação!”. O ciclista de 105 anos receia o dia em que não puder andar mais de bicicleta ou fazer desporto. Mas promete continuar a pedalar contra isso.