Este é um Kia que nada tem a ver com restantes. Pretende puxar a marca coreana para cima, em termos de imagem, e rompe com que tudo o que é habitual neste fabricante, pois em vez de perseguir a melhor relação qualidade/preço, visa juntar ao cocktail emoção, potência e um comportamento capaz de satisfazer os condutores mais ousados.

Depois de ter sido referido como Kia GT durante os últimos meses – no seguimento do GT concept que a marca apresentou no salão de Frankfurt de 2011 –, o novo topo de gama coreano anuncia por fim o seu nome: Stinger. A carroçaria é a de uma berlina de quatro portas, mas com linhas esguias, quase coupé, graças aos pilares do tejadilho muito inclinados, mas os verdadeiros trunfos do novo modelo estão escondidos sob a estrutura.

Nada de motores pequenos a e a pensar quase exclusivamente nos consumos e naqueles que conduzem virados para a economia. O Stinger aponta mais alto e, se bem que para a Europa vá incluir uma versão turbodiesel com 2,2 litros, na realidade pretende cativar europeus e americanos com o 3.3 V6 twin-turbo a gasolina, que fornece 370 cv, o que lhe deverá permitir ir de 0 a 100 km/h em 5,1 segundos, para depois alcançar uma velocidade máxima de 269 km/h. Como alternativa mais comedida, mas não muito, surge o 2.0 Turbo também a gasolina, com somente quatro cilindros, com 259 cv. Associados aos motores possantes surge a nova caixa automática de oito velocidades, específica para modelos com motor longitudinal e tracção às rodas posteriores.

Motores potentes é bom, mas não basta

É claro que a potência ajuda a conseguir emoções fortes, mas não é tudo. Consciente desta realidade, a Kia confiou em Albert Biermann – o novo responsável pelos chassis e comportamento dos carros da casa –, que durante anos ajudou a tornar melhores os BMW M, para transformar o Stinger num veículo ágil e divertido de conduzir. Vai daí, o novo modelo passou a tracção atrás (há igualmente a possibilidade de optar por versões 4×4 como os Audi mais desportivos), como os BMW M e Mercedes AMG, e foi desenvolvido no circuito de Nürburgring, a bitola pela qual passam os desportivos que se prezam.

Em matéria de chassi, o Stinger apresenta um comprimento de 4,83 metros e uma distância entre eixos de 2,91 metros, dimensões mais próximas do Série 5 do que do 3, o que deixa antever um espaço interior mais que generoso. O novo modelo da Kia vai estar disponível em duas versões, o Stinger, com 259 cv, e o Stinger GT, com 370 cv.