O departamento de Defesa dos Estados Unidos assegurou, na segunda-feira, que o grupo extremista Estado Islâmico tem “os dias contados” no leste de Mossul, o seu maior bastião no Iraque. O anúncio do Pentágono surge poucas horas depois de as forças iraquianas alcançarem pela primeira vez a margem do rio Tigre, no sudeste da cidade.

“Os combatentes do Estado Islâmico estão rodeados por uma força superior”, afirmou Jeff Davis, um porta-voz do Pentágono, que explicou que os extremistas “não têm capacidade para se reforçarem ou abastecerem”. “Acreditamos que os seus dias ali, particularmente no leste de Mossul, estão contados e (eles) estão a começar a dar-se conta”, acrescentou Davis.

O oeste da cidade, onde está o aeroporto, continua totalmente controlado pelos extremistas, mas as cinco pontes que ligam os dois lados estão semidestruídas devido a bombardeamentos aliados, pelo que os combatentes no leste estão parcialmente isolados. Davis explicou que os extremistas tentam “cruzar o rio a pé, usando tábuas” e movem veículos um a um, com uma grua.

Estes avanços acontecem após o início de uma nova fase da ofensiva contra o Estado Islâmico, depois do lançamento em outubro de uma grande campanha para recuperar o seu último bastião urbano no Iraque. Neste período as tropas conseguiram controlar mais de 60% da metade oriental de Mossul e amplas áreas nos arredores da cidade, sob controlo dos extremistas desde 2014.