O PSOE vai ter uma nova liderança a partir de junho, de acordo com a proposta, a que o El Pais teve acesso, que está a ser preparada para ser tornada pública pelo Comité Federal do partido no próximo sábado.

As primárias que vão eleger o novo líder do partido devem acontecer em maio, três semanas antes do congresso que se realizará em junho. Esta é a segunda vez que o partido elege um líder em eleições primárias, que acontecem depois do líder eleito nessa disputa de 2014, Pedro Sánchez, se ter demitido de secretário-geral do PSOE. A saída de Sánchez aconteceu em outubro, depois de forte contestação interna sobre a sua posição de recusa em apoiar um Governo de Mariano Rajoy, depois dos resultados das últimas eleições gerais.

O partido tem estado a ser gerido por uma direção provisória (uma comissão de gestão) e ainda não há candidaturas formalizadas, o que se espera que possa acontecer ainda em janeiro. Os dois nomes que estão a ser apontados ocmo possíveis candidatos são o de Pedro Sanchéz e o de Susana Díaz, presidente do Governo da Andaluzia.

O El Pais escreve mesmo que a “discussão sobre as datas do congresso ficará resolvida no próximo sábado com uma clara maioria a aprovar o calendário proposto”. O jornal lembra que a comissão de gestão do partido se comprometeu em ter uma nova liderança no partido antes do verão e as fontes ouvidas pelo diário apontam que o congresso possa vir a realizar-se no fim de semana de 17 e 18 de junho. Estas devem ser as datas que o presidente da comissão de gestão, Javier Fernández, vai apresentar no sábado ao Comité Federal.