Polícia

Um dos argelinos que fugiu do aeroporto de Lisboa vai ser expulso do país

120

Os dois homens que estavam em fuga foram apanhados na Gare do Oriente durante a madrugada pela PSP e já foram ouvidos. Um deles será expulso do país muito em breve.

Os argelinos fugiram na quinta-feira à tarde do aeroporto de Lisboa

JOAO RELVAS/LUSA

Mohamed Mechani e Hichem Guellil, os dois argelinos que, na quinta-feira à tarde, fugiram do Aeroporto de Lisboa, foram ouvidos esta sexta-feira depois de terem sido apanhados durante a madrugada na Gare do Oriente por agentes do Departamento de Investigação Criminal da PSP.

De acordo com um comunicado do Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa, os dois homens ficarão num centro de instalação temporária por existir “sério e concreto risco de fuga, comprometendo a evolução do processo a que deu início com a sua detenção”. Guellil deverá ser conduzido para a Argélia “no mais curto espaço de tempo”, ficando entretanto sob custódia do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

No que diz respeito a Mechani, este ficará a aguardar no centro de instalação temporária “os ulteriores termos do processo”. Segundo a TVI 24, o argelino tinha na sua posse documentos que lhe permitiam circular na Europa, informação que ainda não foi confirmada oficialmente.

Os dois homens tinham fugido na quinta-feira quando se procedia ao embarque de um grupo de cinco argelinos (quatro homens e uma mulher) num voo com destino a Argel. Acabaram apanhados na Gare do Oriente, não muito longe do aeroporto de onde tinham escapado, depois de terem “conseguido transpor a rede de proteção do aeroporto de Lisboa”, de acordo com as informações prestadas pela PSP.

Ao que o Observador apurou ainda na quinta-feira junto de fonte policial, quatro homens e uma mulher chegaram na tarde de quinta-feira ao aeroporto Humberto Delgado, provenientes de Argel, capital da Argélia. No controlo de entrada de passageiros, o grupo foi barrado pelas autoridades, uma vez que não tinham visto para entrar em espaço Europeu.

Durante a tarde desse dia, o grupo foi monitorizado por uma equipa da PSP e outra do SEF, na zona internacional que, pelas 16h30, os encaminharam para o avião que os levaria de regresso ao seu país. Foi no transporte, quando saíam do autocarro para entrar no avião, junto ao Terminal 2, que o grupo dispersou e os seus elementos começaram a correr em diversas direções. As equipas da PSP e do SEF conseguiram mobilizar ainda dois homens e uma mulher, mas outros dois acabaram por se colocar em fuga, transpondo a vedação do aeroporto e fugindo pela Segunda Circular.

O porta-voz da PSP, o Intendente Hugo Palma, disse à RTP que esta foi “mais uma tentativa desesperada de entrar em território europeu”, um caso de imigração ilegal. Hugo Palma explicou, ainda, que como a situação é recente as autoridades ainda não conseguiram perceber o que falhou na operação permitindo a fuga dos dois argelinos.

Sobre a coordenação entre a PSP e o SEF, o porta-voz refere que se trata de “um acompanhamento misto” que tem sido reforçado para dar resposta a situações recorrentes como esta. Já houve quatro casos semelhantes. Uma vez em junho e outra em julho, dois marroquinos tentaram fugir do aeroporto de Lisboa, vindos de Casablanca com destino ao Brasil. Em setembro, dois argelinos tentaram repetir a proeza. Finalmente, em outubro seis argelinos tentaram forçar as saídas de emergência de um avião da TAP em andamento.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)