Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O subcomissário que agrediu um adepto do Benfica à frente dos dois filhos menores em Guimarães a 17 de maio de 2015, recebeu, de acordo com o Correio da Manhã, um louvor do Comando de Braga da PSP, pela competência e serviços prestados no policiamento de recintos desportivos. O louvor a Filipe Silva foi publicado na sexta-feira numa ordem de serviço, onde é destacado que os serviços do agente “prestigiam a polícia”.

Nesse dia de maio de 2015, em que o Benfica se tornou campeão nacional, correram o país as imagens da CMTV em que duas crianças assustadas assistiram aos agentes da PSP a agredirem violentamente o avô e o pai após um jogo entre o Vitória de Guimarães e o Benfica. Houve até quem mais tarde associasse a revolta dos adeptos benfiquistas nos festejos do título no Marquês de Pombal a essas imagens. Agora, o agente recebe um louvor, que não é pacífico.

De acordo com o CM, a decisão está a causar uma polémica interna, já que Filipe Silva foi acusado pelo Ministério Público de ofensa à integridade física, falsificação de documentos, denegação de justiça e prevaricação. Filipe Silva ainda não foi julgado porque requereu a instrução do caso, tendo o processo disciplinar suspenso a aguardar decisão da tutela da Administração Interna. Entretanto, terá voltado a liderar o patrulhamento do Estádio D. Afonso Henriques no último jogo contra o Benfica.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR